Páginas

sábado, 6 de março de 2010

Sinto muito, mas não sou religiosa.

Pois é. Me desculpei porque parece que, hoje em dia, não fazer parte de uma "religião" organizada, com sede, "pastor" - de qualquer tipo, padre, pastor evangélico, guru etc. - é algo inimaginável e até censurável.

Acho que não preciso de pastores, nem de psicólogos ou psicanalistas. Detesto ser pastorada e/ou pastorar, que quer dizer vigiar, certificar-se de que nenhuma ovelha vai escapar. Que escapem! O que vale é a liberdade - a que pudermos ter - e a felicidade - como cada um puder ser.

Mas eu sei, que as coisas que me deixam feliz, 99,999999999% fazem parte da natureza. Não sei quem as criou, ou se elas foram criadas... por que temos que inventar um criador? O universo existe, porque existe. Ao mesmo tempo, acredito em uma certa organização - que a maioria chamam de Deus. Se algo está em ordem, é porque alguém as pôs ou fez assim. Eu não acho! É difícil para o ser humano não estar ou ter alguém em controle. Organização não é sinônimo de controle.

Mas deixemos de blá, blá, blá esotérico, ou quase... e vejamos exemplos desta organização.

Vejam também um excelente artigo: Mexendo na casca das “religiões" no Coluna do Herzog, por Carlos Santos.










Os raios são lindos... e depois vem aquele barulho que sempre me dá vontade de sair correndo, não de medo, mas de liberdade...




Infelizmente nunca vi um pessoalmente - mas irei ver -, mas as moléculas de neve são um dos mais perfeitos exemplos de ordem do universo.

As conchas... também



As teias. A natureza é estruturada...










Por que tem que haver "alguém" por trás disso? Eu não acredito. Acredito em lógica e racionalidade, mas sem um "cérebro", metaforicamente falando, assim como Deus é uma metáfora para essa força.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...