Páginas

sábado, 23 de janeiro de 2010

Um Holmes diferente


Há algum tempo atrás Robert Downey, Jr., uma das grandes promessas do cinema da atualidade quase entrou no ostracismo hollywoodiano devido a seus problemas com as drogas. Muitos lamentaram, pois se perguntavam como alguém tão talentoso poderia se destruir por tal banalidade. Claro que se sabe que toda Hollywood se utiliza de narcóticos de todas as especies, mas Downey Jr. tornou-se o alvo de muitos críticos, até mais do que outros artistas por alguma razão bizarra.

Então ele fez Iron Man e a maioria das pessoas foi conquistada pelo seu retrato brilhante, bajulador e sexy de Tony Stark. Depois veio a comédia Tropic Thunder e o filme O Solista, e novamente todos se admiraram com sua grande atuação. E agora, antes de terminar 2009 e antes de Iron Man 2, que será lançado a partir de maio de 2010, Downey Jr. colocou seu chapéu de herói para estrelar outra ficção legendária e favorita do público. Ao contrário de outras personagens encenadas em filmes anteriores, nos quais a personagem era esnobe e um perfeito gentleman vitoriano, Downey Jr. não se comporta como tal. Muitas vezes, seu comportamento chega às raias da malandragem, quando usa dispositivos para abrir portas fechadas, truques de química e participa de lutas de box para chegar até os bandidos como Sherlock Holmes.


Holmes dá uma virada na frase "Afofe meu travesseiro" -
um Sherlock Holmes extremamente interrogativo (Robert Downey, Jr.)

Todos nós sabemos que não é a primeira vez que Sherlock Holmes, e sua extensa corte literária, foi trazido às telas do cinema e ao teatro. Existem fãs desde as séries dos anos 1930 e 1940 estreladas por Basil Rathbone.

O que quero dizer é que, uma vez que não li grande parcela das histórias originais de Sherlock escritas por Sir Arthur Conan Doyle, não posso afirmar se esta adaptação de 2009 segue literalmente seus contos. Estou avaliando como uma fã de cinema que está relativamente familiarizada com Sherlock Holmes, mas que não é, absolutamente, uma expert sobre a personagem.

Esta história de Sherlock tem Sherlock e Dr. John Watson (Robert Downey, Jr. e Jude Law, respectivamente) vencendo um vilão escorregadio conhecido como Lord Blackwood (Mark Strong). Com o praticante de ocultismo preso e logo executado por seus crimes, Dr. Watson decide que é hora de seguir para outro nível em sua vida: o "sagrado casamento".

Sherlock fica profundamente aborrecido (acho até que rola um ciúme meio homo na história...) pois seu prezado parceiro logo deixará o time, mas seu ar carrancudo logo se desfaz quando se descobre que Lord Blackwood ressuscitou dos mortos. Relutantemente, Dr. Watson volta a suas investigações para ajudar Sherlock a derrotar Lord Blackwood e seu esquema de dominação do mundo. Para tornar as coisas mais interessantes (ou complicadas, dependendo do ponto de vista) uma velha chama do passado de Sherlock, Irene Adler (Rachel McAdams), retorna a cidade justamente na hora da caça.


Dois britânicos e uma garota de Nova Jersey -
Dr. John Watson (Jude Law), Sherlock Holmes
(Robert Downey, Jr.) e Irene Adler (Rachel McAdams)

Não sei o que é mais peculiar: colocar no elenco o "lindo" Jude Law como Dr. Watson ou ver um diretor de cinema independente, Guy Ritchie (ex de Madonna), comandar um blockbuster. De qualquer maneira, gostei muito de Sherlock Holmes. É divertido e tem suspense, mas também é inteligente. E acho que é melhor que seja, já que o roteiro foi escrito por quatro pessoas (Lionel Wigram escreveu a história. Michael Robert Johnson, Anthony Peckham e Simon Kinberg fizeram o script).

Se você viu o trailer (e teve que ser trancado na Torre de Londres para poder perdê-lo) você já sabe que Sherlock Holmes é um ótimo filme de ação. Não é o corriqueiro gentleman afetado e adequado, que veste um sobretudo, fumando um cachimbo e dizendo que tudo é "elementar". Na verdade, ele não diz isso nenhuma vez. Este Holmes é inteligente, mas um tanto bagunçado, com o lado social um pouco prejudicado [ele é meio misógino e depressivo, além de paranóico, rsrsrs]. Ele também gosta de praticar artes marciais durante um caso ou se divertir lutando boxe nas arenas underground de Londres. Este é um Sherlock muito legal para a geração atual. Ele é tão rápido com ditos satíricos quanto é com um soco na garganta de um atacante repentino. Um dos prazeres do público é quando Holmes imagina como atacará um oponente detalhadamente, com seus pensamentos em slow motion, e depois executa os movimentos em tempo real (graças aos momentos “bullet-time” que foram usados de forma bastante econômica para que as pessoas não confundissem com uma citação de Matrix). Junto com sua extraordinária inteligência e habilidades para solucionar problemas, você tem uma combinação incrível para um herói de filmes. Sentiu o cheiro? Sim! É o aroma de uma "sequência".

Sim, Robert Downey, Jr. está ótimo como Sherlock. Se você já o curtiu no passado, especialmente em Iron Man, ou mesmo Chaplin, então você vai adorá-lo neste filme também.


Olá, Holmes. Você não teria algum Chianti [vinho]
em você, camarada? - Lord Blackwell (Mark Strong,

na frente) e Sherlock Holmes (Robert Downey, Jr., atrás)

Mas já chega de falar nele. Há outras figuras notáveis no elenco como Jude Law como parceiro-no-combate-ao-crime de Sherlock. Ele é bom. Simplesmente isso. Como o novo Sherlock, o novo Watson também derrota e bate nos bandidos. Eu gostei da idéia de Watson tentar seguir uma vida normal com sua noiva, Mary (Kelly Reilly), mas não precisa ser um Sherlock para ver que Watson adora o "jogo", não importa o quanto tente negar.

No começo parece que Lord Blackwood (Mark Strong) é o principal vilão do filme. É uma espécie de volta à velha rixa entre o científico (Holmes) e o sobrenatural (Blackwood). Embora Blackwood seja quase maligno e sua arte mágica o transforme em um adversário digno de Holmes, a galeria de vilões se expande gradualmente na medida em que a trama de desenrola.

Surpreendentemente, não há tanto de Rachel McAdams mas é bom vê-la quando aparece. Pode-se comparar Irene Adler com a “Mulher Gato” assim como Sherlock para “Batman”. Ela é das poucas pessoas que conseguem passar a perna em Holmes, não uma, mas duas vezes. Ambos têm "algo" entre si, mas suas ocupações impedem a relação, já que Sherlock deve prender criminosos e Irene é uma criminosa profissional. Embora as cenas entre McAdams e Downey, Jr. percam um pouco da química, são bem executadas.



Apenas as garotas más usam rosa....e um chapéu florido ....
carregando lindas rosas vermelhas. Sim, sou má, você sabe.
- Irene Adler (Rachel McAdams)

Em um pouco mais de duas horas Sherlock Holmes diverte do começo ao fim. Tem ação, mistério, viradas na trama e um pouquinho de romance. Os meninos irão gostar das lutas e as garotas adorarão as cenas de luta também. Ambos os sexos se divertirão com Holmes & Watson enganando todo mundo.

FONTE: http://movies.msn.com/movies/movie-critic-reviews/sherlock-holmes.9/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...